Consórcio PCJ lança Projeto de macromedidores nos municípios das Bacias PCJ durante 37.º Encontro Regional de Perdas

O Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) lançou no dia oito de maio o Projeto Regional de dimensionamento de macromedidores para os 62 municípios das Bacias PCJ em parceria com a Câmara Técnica de Saneamento dos Comitês PCJ. O projeto, que será financiado com recursos da cobrança pelo uso dos recursos hídricos, foi apresentado durante o 37º Encontro Regional de Perdas Hídricas, que ocorreu em Campinas (SP) e contou com a presença de mais de 100 pessoas, entre autoridades municipais e representantes dos serviços de água da região. O objetivo principal do projeto apresentado no Auditório do Centro do Conhecimento da Água é a busca pelo estabelecimento efetivo de um índice regional de perdas hídricas.

O Projeto, nessa escala, com tantos municípios envolvidos, é inovador na realidade brasileira. O combate às perdas hídricas é a uma das alternativas à ampliação da oferta de água nas Bacias PCJ, já que a região possui média aproximada de 37% de perdas nos serviços de abastecimento, com meta de redução para índices na ordem de 25% em 2020 com necessidade de investimentos próximos a R$ 1 bilhão.

Alexandre Vilella, gerente técnico do Consórcio PCJ, explicou o que são perdas hídricas, a importância desse projeto para os municípios e quais as ações imediatas devem ser executadas. “Esse projeto, construído a muitas mãos e diversos parceiros, possui um caráter inovador por envolver tantas realidades municipais diferentes e, principalmente, o avanço na cultura regional de combate as perdas de água”.

A coordenadora da Câmara Técnica de Saneamento dos Comitês PCJ e representante do município de Santa Bárbara d´Oeste, Célia Moraes, destacou a importância da unificação dos dados de perdas. “Esse evento vem em um momento importante sobre o papel do combate as perdas na região. Cada município precisa calcular um índice comum para a gestão da bacia, a ideia desse evento e do projeto é nivelar os conhecimentos e experiências”.

O Presidente do Consórcio PCJ e prefeito de Indaiatuba, Reinaldo Nogueira, avaliou a importância das discussões e projetos regionais de combate às perdas, que desde 1989, ano da fundação do Consórcio, caíram de 51% para 37% na região das bacias PCJ. “O consórcio PCJ tem o dever de fomentar todas essas reuniões e compartilhar as ações nas prefeituras das bacias PCJ, abrindo caminho para buscar recursos e fazer com que os municípios se interajam. Os municípios devem se unir para dar velocidade e desburocratizar questões sobre a gestão de recursos hídricos. Existem serviços de água com tecnologias e experiências avançadas no combate às perdas, que se forem aplicadas em outros carentes dessa estrutura, teremos ótimos resultados”, concluiu Nogueira.

O índice de perdas é um importante indicativo da eficiência operacional da companhia e é muito importante como parâmetro para liberação de financiamentos. O Banco Mundial, assim como outros bancos internacionais e o Plano Nacional de combate ao desperdício de Água (PNDCA), indicam que as companhias de água no Brasil devam ter como meta num projeto de controle de perdas d’água, o índice sob controle de 20 a 25%.

O consultor operacional da diretoria técnica da SANASA Campinas, Paulo Tinel, atentou para a necessidade da construção de uma política conjunta de combate às perdas hídricas nas Bacias PCJ. “Os municípios das nossas bacias sofrem com uma escassez muito grande de água, com um índice comum e um sistema unificado entre os serviços de água e as prefeituras dos 62 municípios pertencentes a essa região, o controle de perdas hídricas será mais fácil’’. Completou.

O assessor da diretoria metropolitana da Sabesp e vice-presidente do programa de Proteção aos Mananciais do Consórcio PCJ, Hélio Rubens Figueiredo, esteve presente no evento e parabenizou o Consórcio PCJ no projeto de criação de um parâmetro padrão. “A iniciativa do Consórcio é muito importante, a Sabesp tem duas diretorias na região das bacias PCJ, e nossos superintendentes estão dispostos a contribuir com o Consórcio e participar ativamente dessa troca de experiências, para a região avançar na solução dos problemas de preservação dos recursos hídricos” afirmou Figueiredo.

O Consórcio PCJ mantém há 15 anos o Grupo Regional de Perdas Hídricas, que se reúne periodicamente para discussão de estratégias e troca de experiências. Por isso, a implementação efetiva de um índice regional de perdas é importante para o planejamento e elaboração de estratégias no combate às perdas hídricas.

Relato de Experiências

Durante o encontro do Grupo de Perdas cases foram apresentados pelos serviços de abastecimento sobre suas experiências de combate às perdas. Lina Cabral Adani, gerente de controle de perdas e sistemas da SANASA-Campinas e Nilson Gaspar, superintendente do SAAE Indaiatuba apresentaram sobre a gestão de perdas nas instituições, enquanto que os representantes da Foz do Brasil, Bruno Bernini e Marcos Sinico, palestraram a experiência de Limeira na hidrometração e combate às fraudes.

Primeira a apresentar, Lina apontou os resultados e aprendizados que a SANASA- Campinas oferece aos demais municípios da região. “A SANASA possui há 18 anos um programa com resultados, onde todas as ações são monitoradas. Como tudo é documentado oficialmente, servimos de experiências para os outros municípios poderem fazer o mesmo procedimento com resultados positivos.” Concluiu.

Gaspar apresentou as experiências da autarquia de Indaiatuba, o SAAE, e falou sobre as inovações do município. “Estamos fazendo grandes investimentos na ampliação do sistema de água e adotamos um plano diretor de perdas, onde estamos trabalhando intensamente. O sistema de captação e tratamento de água de Indaiatuba está conseguindo absorver toda a demanda do crescimento da cidade, uma das que mais evolui no país.” Afirmou.

O supervisor em gestão de hidrometria e fraudes da Foz do Brasil de Limeira, Bruno Bernini, indicou as experiências da Foz que podem ser compartilhadas em outros municípios. “Possuímos um dispositivo antifraudes que reduziu bastante os problemas de em Limeira”. O índice que era de 50% em 2007, caiu para 12% nos números atuais. Buscamos a conta de água justa, para ninguém sair perdendo, e vamos compartilhar isso com os outros municípios da região”. Completou.

Assessoria de Comunicação – Consórcio PCJ

Compartilhe essa matéria via:

Facebook
Twitter
LinkedIn

Newsletter

Assine a Newsletter do Consórcio PCJ e seja o primeiro a saber sobre projetos, ações de conservação e eventos importantes que acontecerão no ano. Além de notícias em primeira mão sobre todo o universo da água.

Outras matérias

24 de maio de 2024

Entidade tem reforçado comunicação aos municípios associados com orientações de enfrentamento da estiagem 2024 e sugestões de ações de contingenciamento.  Segundo dados do Monitoramento Hidrológico das…

Pular para o conteúdo