BLOG

Fique por dentro do mundo do gerenciamento de recursos hídricos e das ações do Consórcio PCJ em prol da água.

Diferenças das barragens de rejeitos de mineração das barragens de armazenamento de água

30 janeiro 2019



Brumadinho é um município pertencente a região metropolitana de Belo Horizonte, capital mineira, e tinha uma população estimada de 39.520 pessoas em 2018, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O salário médio mensal dos trabalhadores formais, em 2016, ainda segundo o Instituto, era de 2,4 salários mínimos. A barragem de rejeitos de mineração da Mina do Feijão caminhava junto com o desenvolvimento da cidade.

Foi o rompimento da barragem da Mina do Feijão que foi a responsável pela tragédia em Brumadinho. Negligencias da empresa Vale causou impactos severos com a perda de vidas e desestruturação de toda uma comunidade, além dos reflexos emocionais do país e da comunidade internacional quanto ao desastre ambiental e hídrico, envolvendo a Bacia do Rio Paraopeba, importante manancial para a região e um dos principais afluentes do Rio São Francisco.

Contudo, o rompimento da barragem também trouxe duvidas e suposições. Por isso, é importante esclarecer também as diferenças de construção das barragens de rejeitos de mineração das barragens de armazenamento de água para abastecimento e geração de energia elétrica.

As barragens de mineração possuem três processos de construção: montante, jusante, e eixo central. Pelo método montante o maciço da barragem faz uso da camada de rejeito seco. Esse método é o menos seguro e responsável por 76% dos acidentes com rompimentos de barragens de mineração, já que o maciço em cima de rejeitos pode conter traços de líquidos, tornando a estrutura mais frágil. No processo jusante o alteamento da barragem é feito sobre o maciço do solo, mais estável e mais seguro. O processo de eixo central é uma mescla dos dois métodos.

No processo montante o problema está na drenagem do maciço de rejeito, se não houver uma drenagem bem-feita a possibilidade de um acidente é maior.

Já nos reservatórios de água a fundação das barragens é construída sobre um maciço rochoso e seu alteamento é feito por meio de argila compactada, levantado de uma só vez, o que torna o barramento muito mais seguro. Exemplo de segurança das barragens paulistas, foi o evento climático extremo em 2009, quando o Sistema Cantareira (complexo de 5 reservatórios) superou a marca de 100% de armazenamento, sem nenhum comprometimento da estrutura das barragens. Esse modelo de construção é considerado um dos mais modernos do mundo, haja vista, que o Brasil é um dos maiores construtores de barragens de água do planeta.

As barragens de água são de extrema importância para a sustentabilidade hídrica e devem seguir o mais rigoroso processo de construção que atenda à segurança das comunidades vizinhas e ao meio ambiente, com respeito a fauna e flora local, mitigando todos os possíveis impactos que esse empreendimento possa gerar.

A tragédia de Brumadinho deve servir de exemplo para que novos acidentes não ocorram, mas é importante atentar às distinções de construção entre esse modelo de barramento com a construção de reservatórios de água.





VOLTAR



Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí
Av. São Jerônimo, 3100 - Americana, São Paulo, 13470-310 Brasil
19 3475-9400
PCJ
©Consórcio PCJ 2018 | Todos os direitos reservados
Criação
Manutenção Bk360 Agência Publicidade Propaganda Digital
1
×
Olá, podemos ajudar?