30.10.2015 - DAEV substituirá mais 4.000 hidrômetros a partir da terça-feira, 3 de novembro

Técnicos do Departamento de Águas e Esgotos do município associado de Valinhos (DAEV) iniciam na próxima terça-feira, dia 3 de novembro, a substituição de mais 4.000 hidrômetros com prazo de validade vencido em todas as regiões da cidade. Os serviços são gratuitos e fazem parte do programa retomado em 2013 de combate a perdas de água e de receita. Desde 2013, já foram feitas trocas preventivas de 12.000 unidades, instalados 2.000 em novas ligações e 4.300 por problemas no equipamento, totalizando 18.300 medidores.

A medida tem como objetivo a melhoria constante da qualidade da micromedição e atende à Portaria Nº 246, de 17 de outubro de 2000, do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que recomenda a troca do equipamento com mais de cinco anos de uso.

A substituição será feita de segunda a sábado, das 8 às 17 horas. A entrada de técnicos no imóvel somente será necessária caso o relógio ainda esteja instalado em cavaletes. Mas os técnicos do DAEV não precisarão entrar nas residências equipadas com caixa padrão no muro e o relógio voltado para rua.

O hidrômetro, mais conhecido como o relógio da água, é o aparelho que mede e registra o volume de água consumido, portanto, é muito importante que estejam em bom funcionamento para que o usuário possa acompanhar o consumo e, em caso de vazamento, possibilita enxergá-lo mais rapidamente, ao observar os ponteiros girando mesmo com todas as torneiras fechadas.

“A substituição dos equipamentos antigos contribui para a redução e controle de perdas. Afinal, promove a cobrança justa tanto para o consumidor quanto para o DAEV. Com a continuidade dos trabalhos, a Autarquia terá feito a substituição preventiva de 12.000 hidrômetros”, afirma o presidente do DAEV, Luiz Mayr Neto.

O novo medidor possui a mais alta tecnologia e foi testado e aprovado pelo Inmetro. Depois da troca, o usuário fica responsável pela guarda e conservação do equipamento. Como qualquer outro aparelho de precisão, o equipamento está sujeito a eventuais desgastes que podem comprometer o seu bom funcionamento. Eles registram, sem burocracia e instantaneamente, o volume de água e, com isso, promove a cobrança justa tanto para quem distribui, quanto para quem recebe pela água.

Manutenção preventiva

Para manter o padrão da prestação dos serviços e o nível de satisfação dos clientes e, ainda, garantir uma medição correta do volume da água consumida nos imóveis, o DAEV executa, rotineiramente, manutenções corretivas e preventivas em seu parque de hidrômetros. A execução deste serviço é de total responsabilidade da Autarquia e não representa custo para o consumidor.

A manutenção corretiva corresponde à substituição dos aparelhos que apresentam algum impeditivo de apuração do volume, como vazamentos, travamentos, que estejam danificados ou com vidros embaçados. Já a manutenção preventiva tem como alvo os aparelhos antigos e/ou defasados tecnologicamente, que não registram mais fielmente a quantidade de água consumida.

O Programa de Saneamento e Racionalização do Consórcio PCJ

Avançar com os índices de saneamento básico nas Bacias PCJ significa encontrar novas alternativas hídricas para a região, que passa por uma das piores crises de disponibilidade de água da história. Antevendo a esse cenário, em 1998, o Consórcio PCJ criou o Grupo Regional de Combate às Perdas Hídricas, composto pelos serviços de abastecimento dos municípios associados à entidade, que busca encontrar soluções conjuntas para os desafios da universalização do saneamento básico. Por meio do Programa de Saneamento e Racionalização, o Consórcio PCJ auxilia os municípios com projetos, consultoria técnica e troca de experiências. Essa iniciativa rendeu à entidade, em 2001, o Prêmio Melhores Práticas em Gestão dos Recursos Hídricos, promovido pela Secretaria de Recursos Hídricos, Saneamento e Obras do Estado de São Paulo, entre outros prêmios.

Texto: Apoio Assessoria de Imprensa DAEV