06.02.2017 - Consórcio PCJ sugere turismo ecológico como alternativa às crises hídrica e econômica dos municípios

Reunião da entidade com novos gestores aconteceu no último dia 03/02 com a presença de 100 pessoas

Com potencial paisagístico encantador, como cachoeiras, montanhas e reservatórios com esportes náuticos, somado a festas populares com variados temas, como flores e frutas, atrelado as ações ambientais que causaram desenvolvimento ambiental invejável às Bacias PCJ, o Consórcio PCJ propôs em reunião com os novos gestores, que assumiram recentemente o mandato para o período de 2017 a 2020, investimentos em ecoturismo como alternativa às crises hídricas e econômica que passam os municípios.

Compareceram ao café da manhã seguido de reunião do Consórcio PCJ cerca de 100 pessoas, entre prefeitos, secretários municipais, vereadores e representantes de empresas associadas à entidade.

No encontro foi apresentado breve resumo da história de atuação do Consórcio PCJ, desde a sua fundação até os dias atuais, atentando para os resultados ambientais promovidos em mais de 27 anos de história. Também foram apresentados os funcionários da entidade e cada uma das atividades desempenhadas.

Na reunião foi exposto o projeto de implantação de “Espaços Turísticos EcoHídricos” com o objetivo de auxiliar os municípios na preservação dos mananciais da região, ao mesmo tempo que atrela valor turístico e de sensibilização ambiental, além de gerar recursos financeiros e movimentar a economia das cidades associadas.

Em vídeo que a entidade elaborou exclusivamente para o evento, foi atentado para os potenciais turísticos das Bacias PCJ, que é privilegiada por possuir um aeroporto internacional em sua área central, o Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), que só em 2016 transportou 9 milhões de pessoas, sendo que destes, 416 mil eram turistas estrangeiros, e com potencial de ampliar esses números nos próximos anos.

Dados no Ministério do Turismo, apontam que os turistas internacionais gastaram US$ 5,1 bilhões de dólares em destinos nacionais. Pelo câmbio de hoje, o valIMG_0835or representa três vezes o orçamento de um município como o de Campinas, o maior das Bacias PCJ. “Temos de intensificar as visitas em nossa bacia, tanto nacional como internacional. O ecoturismo e o turismo de negócio e eventos têm potencial para se transformar numa importante renda para os municípios e também auxiliar na preservação e ações ambientais na região”, atentou no encontro o secretário executivo do Consórcio PCJ, Francisco Lahóz.

Os “Espaços Turísticos EcoHídricos” também podem contribuir na pontuação dos municípios no programa “Município Verde Azul”, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, cuja participação na iniciativa é item obrigatório para solicitar recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FEHIDRO) e da cobrança pelo uso da água.

Pensando nesse potencial, o Consórcio PCJ realizará em 2017 duas grandes ações: a realização do pioneiro curso de Ecoturismo para as cabeceiras das Bacias PCJ, que já possui recursos aprovados pela CapNet, rede criada em 2005 e financiada por agências de cooperação dos países desenvolvidos em conexão com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e outros programas e agências multilaterais. O Consórcio também promoverá durante todo o ano as Bacias PCJ como destino internacional para visitas técnicas e turísticas para os visitantes que virão para 8º Fórum Mundial da Água, que acontecerá em 2018, em Brasília (DF), e é considerado o maior evento sobre a água no mundo. São esperadas 47 mil pessoas.

Durante a reunião com os novos gestores, o Consórcio PCJ também apresentou o curso de captação de recursos que será desenvolvido no decorrer dos próximos meses, com o propósito de se criar Grupos Técnicos nos municípios para produção de projetos e captação de recursos. “A ideia é que esses grupos sejam compostos, prioritariamente, por funcionários de carreira, para que com a alternância das administrações os trabalhos iniciados ampliem suas possibilidades de continuidade”, atentou Lahóz.

Também foi lançada com o apoio do município de Campinas, por meio do Secretário do Verde, Rogério Menezes, da Sanasa, com o presidente Arly de Lara Romeo, e do vereador Luiz Carlos Rossini, membro do Conselho Fiscal do Consórcio PCJ, a iniciativa de se criar uma frente parlamentar para se tratar temas ligados à gestão de recursos hídricos na Assembleia Legislativa de São Paulo e no Congresso Nacional.

O calendário de IMG_0805atividades sobre o 8º Fórum Mundial da Água e formas de participação, foi destacado aos novos gestores, por meio da apresentação do Projeto Colaboradores Ambientais 2017. Os recursos angariados este ano com o projeto serão exclusivamente para a promoção e debates sobre o Fórum, que serão tratados dentro do projeto de Educação Ambiental “Gota d’Água”, e em seminário internacional, previsto para ocorrer ainda no primeiro semestre de 2017.

Para agilizar as ações propostas, a Entidade lançou dentro do Programa “Planejamento e Sustentabilidade para Ampliação das Disponibilidades Hídricas” o Projeto ”Ressignificando as Prioridades e as Potencialidades Locais”, com a abertura, desde já, de um cadastro de interessados no Projeto, facilitando, posteriormente a emissão de convites, para cursos de capacitação, entre outras atividades.

Assim sendo, os funcionários dos Associados, Empresas e Prefeituras (Serviços de Água e Esgoto e Secretarias), que desejam participar de tal Projeto, poderão enviar e-mail ao Consórcio PCJ, solicitando inscrição ao Projeto ”Ressignificando as Prioridades e as Potencialidades Locais”, através do e-mail alice@agua.org.br ou pelo telefone: 19 3422 5457.

Por fim, o Presidente do Conselho de Transição do Consórcio PCJ e representante da empresa associada, Águas do Mirante, Fernando Humphreys, atentou para a participação de todos os associados no processo eleitoral da entidade, para a formação de uma chapa de consenso para a nova diretoria. A Reunião Plenária de eleição acontecerá no dia 17 de março.