23.07.2015 - Campinas caminha para tratar 100% de esgoto com construção de mais uma ETE

Com o objetivo de alcançar a meta de universalização do saneamento no município associado de Campinas, o prefeito Jonas Donizette e o presidente da Sanasa, Arly de Lara Romêo, assinaram, ontem, dia 22 de julho, a autorização para Contratação da Empresa Consórcio Com/Nova San, que vai construir a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Boa Vista. “Esta obra representa a primeira etapa deste projeto e, com a sua conclusão, Campinas passará a ser a primeira cidade de grande porte do País, com mais de um milhão de habitantes, a ter 100% de capacidade instalada para tratamento de esgoto”, enfatizou Romêo.

Na ocasião, o prefeito Jonas Donizette destacou os investimentos feitos pela Sanasa de 2013 até o momento, fortalecendo o compromisso político do governo com a população. “Foram quase R$ 275 milhões investidos, sendo R$ 84 milhões no sistema de água, R$ 166 milhões no esgotamento sanitário e R$ 23 milhões em outros investimentos”, enumerou o prefeito. Investir na área de saneamento, segundo Jonas, traz mais qualidade de vida à população e ainda contribui para a geração de emprego.

Com um investimento total de R$ 51.740.535,21, uma parte dos recursos, correspondente a R$ 45.998.479,18, é proveniente do PAC e do Reágua; o restante, de R$ 5.742.056,03, resulta de contrapartida da Sanasa. A execução da obra, que será feita pelo consórcio formado pelas empresas COM Engenharia e Nova San, escolhido por meio de licitação internacional, terá prazo de conclusão de 18 meses.

Durante o evento, o gerente de Operação de Esgoto da Sanasa, Renato Rossetto, fez uma abordagem histórica sobre o tratamento de esgoto em Campinas e explicou sobre o moderno método que a Sanasa tem utilizado, a partir de membranas ultrafiltrantes, produzindo uma água com 99% de pureza. A ETE Boa Vista terá capacidade para tratar 180 litros de efluentes por segundo. Além disso, assim como a EPAR Capivari I, o esgoto tratado por esta estação resultará em água de reúso que poderá ser usada para abastecimento industrial. A obra beneficiará uma população de 77.636 moradores de 30 bairros.

O índice de tratamento de esgoto nas Bacias PCJ está em média de 60%, atualmente. Quando o Consórcio PCJ foi fundado, em 1989, esse número não passava de 3%. Desde então, a entidade começou um forte trabalho de conscientização, auxílio na busca de fontes de financiamento aos municípios e apoio com a elaboração de termos de referência. A articulação do Consórcio PCJ faz com que as Bacias PCJ sejam uma das regiões que mais recebem recursos federal e estadual em saneamento básico.

IMG_2309IMG_2393