25.01.2018 - Abertura de Exposição de Arte do MP contou com presenças de autoridades e representantes do Consórcio PCJ

O Ministério Público de São Paulo inaugurou no último dia 22 de janeiro, na Estação Cultura, na capital, a exposição Retratos da Cidadania, que tem como objetivo valorizar o trabalho de promotores e procuradores de Justiça em defesa da cidadania. As 19 obras expostas foram idealizadas por 19 artistas plásticos que representaram o trabalho de 17 promotores de Justiça em casos emblemáticos. A exposição, iniciativa inédita no país, foi concebida a partir de depoimentos de promotores e beneficiários da atuação do MPSP vistos pelos artistas.

A pior crise hídrica vivenciada pelo Estado de São Paulo foi representada pela artista Nathália Marçal, que se inspirou no trabalho e depoimento da promotora do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema) de Piracicaba, Alexandra Faccioli, e do secretário executivo do Consórcio PCJ, Francisco Lahóz.

A abertura da exposição contou com as presenças do secretário estadual de Cultura, José Luiz Penna, o procurador geral de Justiça do Estado de São Paulo Gianpaolo Smani, entre outras autoridades. O Consórcio PCJ foi representado pelo secretário executivo da entidade, Francisco Lahóz, o assessor técnico, Flavio Forti Stenico, e o gerente de comunicação Murilo Sant’Anna.

“Nós precisamos mostrar que o Ministério Público é um investimento da sociedade. Cada centavo aqui aplicado volta para o conjunto da população”, disse o Procurador-Geral de Justiça, Gianpaolo Smanio. “Isso sem falar na atuação em áreas cujos resultados não serem mensurados”, completou o PGJ, referindo-se, entre outros setores, ao do meio ambiente.

O secretário estadual de Cultura enalteceu a necessidade reconstruir a brasilidade da população. “Nunca precisamos tanto de um evento como esse para reconstruirmos a dignidade do Brasil, o fato de sermos brasileiros, o fato de caminharmos para um país mais justo, mais equilibrado socialmente e ambientalmente”, disse Penna.

A exposição foi idealizada em conjunto com a Agência VML que organizou o evento e convidou os artistas para desenvolver as obras de arte. “O desafio foi fazer uma campanha de tantas causas, já que em alguns momentos acreditamos que só há um trabalho que o Ministério Público faz e aqui, nessas 19 obras, ficou claro que o trabalho dele é muito vasto e compreende vários setores da comunidade”, atentou durante a abertura o presidente da VML, Fernando Taralli.

O secretário executivo do Consórcio PCJ acredita que ações como essa tornam ainda mais evidente o trabalho do Ministério Público e promove a cultura. “Sempre fomos parceiros do Ministério Público, que teve atuações históricas nas negociações de renovação das outorgas do Sistema Cantareira, em 2004 e 2017. Iniciativas como o da exposição Retratos da Cidadania são importantes para registrar esse importante trabalho e incentivar e promover a cultura, em nosso país”, comentou Lahóz.

A exposição está ocorrendo na Estação Cultura, ao lado da Sala São Paulo, até o dia 9 de março. A partir de fevereiro, novos casos e projetos de promotores das mais diversas regiões do Estado serão divulgados pelos canais do MPSP, que conta com a parceria da agência de publicidade VML, em atuação pró-bono, no projeto Retratos da Cidadania.

Para assistir as entrevistas dos promotores e representantes da sociedade civil que inspiraram a produção das obras de arte, acesse a página do Ministério Público do Estado de São Paulo no Youtube: https://goo.gl/92Phys

Assista abaixo aos depoimentos da Promotora do GAEMA de Piracicaba, Alexandra Faccioli, e do secretário executivo do Consórcio PCJ, Francisco Lahóz, que originaram o quadro da artista Natália Marçal:

IMG_1337